top of page

II Teen Wolf de uma perspectiva espiritual.

“Porque escreveu o livro?”

"Escrevi porque ninguém acreditou em mim, porque ninguém me ouviu.”

“O que são eles?”

“Não são totalmente humanos, pelo menos não mais. Eles eram cientistas que veneravam o sobrenatural.”

“Tesla disse, se você quer encontrar os segredos do universo, pense em energia, frequência e vibração. Eles acharam os segredos nas forças eletromagnéticas. Uma forma de prolongar suas vidas, deu poder a eles, e principalmente, fazer com que você esqueça que alguma vez os viu."


Os médicos do medo são uma alusão a nós mesmos e o que nós fomos antes de vir aqui. Veja, esquecemos de onde viemos mas fomos nós que observamos essa experiência aqui na Terra, nós concordamos. Mas chegamos aqui esquecemos as leis que regem o universo dando energia ao medo. E o mercúrio é o componente que pode acordar eles para si mesmos e como nós estamos prejudicando a nós mesmos.


Even Paraclesus believed that bringing the various elements in the human body into harmony with the elements of nature fire, air, water, earth and Light, old age and death might be indefinitely postponed. He also believed that every body is composed of four elements and that the essence compounded of these elements forms a fifth, which is the soul of the mixed bodies or in other word its “mercury.” On Page 16, in Encyclopedia of Occult Symbols, Paracelsus says,


“I have shown in my book of Elements, that the quintessence is the same thing as mercury. There is in mercury whatever wise men seek. He specialized in separating the pure from the grosser matter, which clogs and confines by the use of its “essence or mercury.” Finding the predestined element, the seminal essence of being, the first being or quintessence, is the key. Take some mercury and separate the pure from the impure and afterwards pound it to perfect whiteness.” (source)


"Isso já aconteceu antes.” Lydia está falando sobre Allison, eles não compreendem a força “sobrenatural” que existem neles, não escutam a intuição, não estão completamente conscientes dos poderes psíquicos. Várias vezes durante o episódio, “Uma nova abordagem”, Stiles mostra uma força tremenda e irritabilidade, o jipe está continuamente sendo remendado. Esquecem coisas, sentem fadiga, não conseguem ver direito. (source)


No caso do doutor Valack ele está com resistência ao Nemeton que até então só ajudou e guiou eles. Parte do que ele diz é verdadeiro, mas o que ele busca é proteção. Ele pode ver com alusão a clarividência, mas você não pode pegar tudo que dizem como verdade definitiva você tem que estar consciente do que está focando energia e no que está criando, suas próprias escolhas. Stiles e Lydia abrem os olhos no final: "Tudo que aconteceu e vai acontecer é culpa nossa.” “É nossa responsabilidade.”



Parrish guia as almas para um local de repouso ou de descanso mas as quimeras não estão mortas, não são sacrifícios. São protegidas, mas Parrish é um protetor do submundo para guiar almas em suas mortes. Os médicos do medo estão tentando criar um "assassino perfeito" que no final é contado a nós que eles não estavam criando, mas ressuscitando um. E os olhos de La Bete mesmo brancos são envolvidos de uma aura azul.


Eu acredito que a representação da morte do outro "eu" de Stiles com o nogitsune foi quando ele ficou com os olhos azuis. Ele não precisa exatamente ser sobrenatural para passar por essas transformações. E como ele mesmo disse os olhos azuis estão abertos a interpretação que sem sombra de dúvidas tem haver com a morte e a transformação, coisas intimamente ligadas. E na segunda morte que Stiles em modo figurativo e não figurativo sugou energia vital dele. Isso estava se espelhando em tudo, no modo que a luz do jipe ficava piscando como se ele estivesse com falta energia. E como você fica sem energia? Você se culpa, você fica em necessidade da energia do outro e busca se alimentar da energia de outras pessoas.



Acho que a ideia de máscaras de gás, usinas nucleares é o princípio que eles usam um conhecimento antigo para mascarar a verdade. "Eles dizem que eles nunca tiram a máscara. Tem pessoas que acreditam que eles não tem rosto por baixo delas. Mas eles tem um símbolo. A cobra que come a si própria." "O ouroboros."


Quando você não está completamente aberto a visão e a grande imagem, mesmo que essas palavras pareçam ser intimidadoras, a verdade é que ouroboros é um símbolo alquímico para a vida, a morte e renascimento. Um processo que passamos incontáveis vezes durante aqui encarnados. As máscaras somos nós aqui, neste grande palco e não ter um rosto é a verdade sobre o ego, você está sempre em movimento, transformando e evoluindo. Não é a ideia de "eu" de algo fixo e imutável.


E logo depois vem a conversa de Stiles com o pai dele, o que ele perdeu, tanto que ele vê a si mesmo empalado quando está com o Theo. Foi mais uma vez uma representação de morrer e se transformar. O jipe não está mais lá, e ele é azul como os olhos de Malia que nesse ponto já não estão mais juntos. Ele sente que perdeu algo, mas acredito que talvez ele nunca tivesse tido antes. Nós acreditamos que temos alguma coisa. Theo é como um espelho para refletir como se sentem e ele acredita em ter uma alcateia, ter um coração. No começo da temporada Stiles dizia porque ele não podia ter os amigos e não é uma questão de ter porque você não possui algo, porque isso diz quem você é e reafirma quem você pensa ser. E como criadores e destruidores da própria realidade, coisas fora de você e as coisas que acontecem fora de você jamais dirá quem você é, mas sim mostram quem você é. Está refletindo você para que olhe para dentro e busque a fonte inesgotável que há dentro de você. Há uma diferença entre colocar a âncora em formas de tentar se proteger da mudança e observar que a culpa não é de alguém, não pode carregar esse peso nos ombros se não nunca poderá ver as melhores escolhas para si mesmo, entrar em equilíbrio entre a mente e o coração.


Não é exatamente sobre assassinato e legítima defesa, as duas coisas por mais que não pareça são a mesma coisa apenas em diferente estágios. E salvar uma vida ainda não é o contrabalanço. O que ocorre aqui é que Stiles está aprendendo que não dá pra ele provar a alguém o ponto de vista que ele tem, ou como vê o mundo. Você jamais pode forçar a sua verdade em outra pessoa. Todos nós temos uma verdade, uma forma de ver o mundo que não pode ser julgada. Stiles está aprendendo que ele só pode mudar a si mesmo e não o outro como no modo como ele briga com Scott. No momento seguinte ele percebe que não precisa provar algo, não precisa se explicar e isso depois da conversa que teve com o pai. O xerife disse as palavras usando as experiências que teve durante a vida, e como ele diz estar tentando ser mais flexível vem a cena da Melissa na onde ele cometeu o erro. Ela tentou fazer com que ele fizesse o que era certo, mas era o que ela achava ser certo para ela e é por isso que manipular ou impor sua verdade nos outros não dá certo. É porque você acredita que a outra pessoa está fora de você, e ela não está separada de você, você está intrinsecamente ligado a tudo a sua volta e é uma crença que está na raízes das experiências que mostram quem você é. No que você acredita sobre si mesmo. O que Stiles perdeu não foi algo que simplesmente não pode ter mais mas porque nunca teve, é o momento que percebe o vazio, o que na verdade é o caminho solitário de seguir em autoconhecimento. "O Stiles vazio." E ele simplesmente não precisa dizer mais, veja não é sozinho mas o caminho do silêncio é solitário e isso não é precisa ser algo ruim, porque você sente que está ligado a tudo e que não há palavras que possam explicar uma experiência que só você pode ter consigo mesmo. Solitude.


O símbolo que a Lydia desenha na pedra para dizer que o xerife está morrendo é o distintivo, mas também o símbolo da teosofia.










Teosofia refere-se a um conjunto de doutrinas filosóficas, místicas, ocultistas e especulativas que buscam o conhecimento direto dos mistérios presumidos da vida e da natureza, da divindade e da origem e propósito do universo. Esta escola mística/movimento iniciático propõe que todas as religiões surgiram a partir de ensinamentos de tronco comum, que se foram, de certa forma, recombinando e permutando, nas suas diversas mutações e encarnações, e que, apesar de comungarem de um tronco comum, acabam muitas vezes por deturpar os ensinamentos da doutrina original. A teosofia é considerada parte do esoterismo ocidental, que acredita que o conhecimento escondido ou a sabedoria do passado antigo oferece um caminho para a iluminação e a salvação.



Como Deaton diz que existem leis que apenas não podem ser quebradas. As dose ou sete leis universais, mas com esse conhecimento se não usado propriamente podem ser corrompidas como fizeram os Médicos do Medo. Toda a ideia de “Damnatio Memoriae” é para que se lembre de quem você é. No final apenas Mason ouvindo o próprio nome fez com que ele retornasse, e é como se tudo tivesse de acontecer exatamente como aconteceu. Allison salva Scott, e Stiles chega a conclusão que não importa para onde iram eles acabaram por se encontrar novamente, eles iram se lembram.


E Theo é significado para "deus", "ou como deus". A máscara é usada para o aumento do recebimento de outras frequências, assim atingindo uma campo energético mais intenso, mais consciente. Um ser humano com uma frequência mais alta, essa conexão que você tem com a fonte, chame de Deus, Universo ou Sophia. Se você está numa frequência abaixo do amor, como raiva, medo você consegue inibir essa frequência. A ideia de 'verde' e 'vermelho'. O que você deixa passar, o que você deixa entrar no seu campo vibracional.


Desde que La Bete apareceu, Lydia fica inconsciente por cerca de cinco episódios e o tema desenvolvido é aquilo que está no seu inconsciente, aquilo que domina você no qual muitas vezes são padrões escritos no seu subconsciente que vem à luz do consciente quando usamos práticas de visualização e meditação. A sua sombra, que foi um tema desenvolvido em temporadas anteriores com o Stiles. Parrish começa um processo de conhecer esse outro lado sobrenatural dele, de evoluir se lembrando da transformação, quando o Cão do Inferno nasceu e Parrish morreu. Lydia é ensinada a aperfeiçoar a faísca de poder do foco.


Os “buracos negros” ou os métodos que o doutor Valack usa em Lydia são como portais de mudança. O passado, presente e futuro. O acesso dessas realidades acontecendo simultaneamente que logo depois também se torna um tema na última temporada, como você pode se lembrar. Se lembrar do divino em si mesmo, experiências parapsíquicas, "superpoderes" como sendo o nome do último episódio. Apoteose.


São conhecimentos da nossa natureza, de quem nós somos e estamos prestes a desabrochar nos anos que se vem a seguir. Apenas com o objetivo de fazer você acordar para a sua essência divina e aos segredos do universo que se escondem em ensinamentos antigos.




Comments


 © 2023 Liber Vinum. All rights reserved.

  • Youtube
  • Instagram
bottom of page